terça-feira, 8 de janeiro de 2008

YADA YADA DE BÁRBARA!

E aqui vai o yada yada yada de Bárbara!

Talvez pelo uso repetido, esse cassete de Caetano e Chico Juntos e ao Vivo emperrava o tempo todo. Primeiro eu tratava de fazer o cassete desemperrar fazendo a fita girar com rapidez. Para tanto, fazia uso de uma caneta Bic. Não a Cristal, a outra. Que era laranja e tinha o sextavado mais definido, parecia-me, e que encaixava melhor num dos furos do cassete.

Depois desenvolvi técnica mais apurada: Abria o cassete com uma chave de fenda bem pequenininha, dessas de óculos, e passava um pouquinho de Vick Vaporub em uma das suas faces laterais internas. A princípio funcionou.

Agora me parece inverossímil que uma criança aos nove ou dez anos se engajasse em tamanho engenho e arte. Ou em tamanha gambiarra. Mas era assim.

Um comentário:

lib disse...

Lucia,

Lembrei tanto de ti ontem... Quando organizava minhas coisas e jogava fora taaantas outras. Estava limpando minha caixa de fitas cassete... Encontrei fitas onde o nome Elis Regina estava riscado. No lugar, Judas Priest.

Meu Deus. Não tive doses de MPB na infância.

E suas gambiarras não são estranhas. Fui a criança mais cheia de gambiarras. Aliás, todas as minhas fitinhas de historinhas Disney tinham uma fitinha adesiva para tapar aquele buraquinho que permitia regravar a fita. A Galinha Ruiva virou Winger.

Fui muito muito muito metaleira.