sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

RAINDROPS ON ROSES AND WHISKERS ON KITTENS

Para Felipe D., que sempre acha uma forma de estar alegre. E para Toot-sie, que está buscando um caminho

Reconheçamos: Às vezes pode ser uma fuga, uma distração. E só funciona no curto prazo. Mas podemos sim mudar rapidamente nosso humor, nosso sentimento – e meramente mudando o objeto do nosso pensamento. Então é claro que lembrar das nossas coisas favoritas pode nos tirar da dor, da agonia, da ansiedade, da tristeza.

Mas que coisas favoritas são essas?

Pesquisando o orkut, achei respostas como zouk, o meu gatinho, praia, música, o Timão. Mas no universo de Oscar Hammerstein II, letrista de My Favorite Things, essas coisas são gotas de chuva em rosas, bigodes em gatinhos, chaleiras de cobre brilhantes, flocos de neve que ficam no meu nariz e nos meus cílios! E tudo isso no meio de bad e sad, rima deliciosamente fácil que Paul McCartney repete na maravilhosa Hey Jude. (Para quem ainda não havia se dado conta, com “raindrops on roses and whiskers on kittens” o Tony Goes sugere que aquele é um blog sobre as suas coisas favoritas.)

É por isso, e por tantas outras razões, que My Favorite Things não é só uma das minhas canções favoritas: É uma das minhas coisas favoritas. A minha gravação favorita é a de Dave Brubeck. Mas deixo aqui, em feel-good intention para o Toot-sie, a interpretação proselitista de Julie Andrews, na versão valseada de A Noviça Rebelde. Adoro a forma com que ela passa do falar ao cantar no primeiro “on kittens”.

Como contraponto, queria também ter deixado a interpretação desesperante de Björk em Dancer in the Dark – mas, ah, não dou conta.

4 comentários:

Tony Goes disse...

Até hoje, só duas pessoas entenderam (ou pelo menos são as que disseram que entenderam) a epígrafe do meu blog.

Adivinha quem é a outra? A Libanesa. Vai ver que esse generation gap não é tão largo assim.

Gui disse...

Sem Bjork tudo fica bem melhor.
Alias, Noviça é sempre Noviça.
Beijo.

Too-Tsie disse...

Ah eu sempre vou lembrar das minhas coisas favoritas, em qualquer mood.(e viva o anglicismo!)
Achei uma página que fala da similaridade ou não das versões:
http://www.iro.umontreal.ca/~eckdoug/favorite_things/

Lúcia BL disse...

Respostas:

mmmm, tony... não lhe pareceu que aquele outro gap, aquele dos quatro bilhões de neurônios que separam os nossos gêneros... também não é tão largo assim? ;-)

olá, gui! eu acho a bjork uma fofa... mas quando ela começa a cantar... yo yo ma! não tenho as sinapses necessárias para lidar com a sua dissonância :-S

salut, toots! amei essa página..! e estou ainda a elaborar a resposta sobre proteção... pois esse tema interessou-me, e muito!