sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

ELLA, ELLA, Ê, Ê, Ê 8

Para o hinduísmo, o universo tem um som. Esse som é om. Para mim, o meu complexo de vira-lata tem uma interjeição. Essa interjeição é "eu, Maria da Glória?".

Não sei bem de onde surgiu isso, nem quem é Maria da Glória. Mas foi na época em que eu estudava Direito na USP. Na São Francisco, como ainda se diz. Toda vez em que eu me sinto tratada com alguma reverência, algum privilégio, quando recebo algum galanteio, logo vem a interjeição: “Eu, Maria da Glória?”

Noite de sábado de muita chuva e de muita fila na porta da The Week. O meu acompanhante esboça-me um bas-fond: “Ah, fila não. Estamos aqui para emprestar o nosso prestígio à casa”.

E logo vem a minha interjeição: “Eu, Maria da Glória?”

E logo vem o André Almada nos tirar da chuva e da fila com as nossas pulseirinhas VIP cor de laranja.

ॐ ॐ ॐ ॐ ॐ ॐ ॐ ॐ ॐ ॐ ॐ ॐ ॐ ॐ ॐ ॐ ॐ ॐ ॐ

Bom, já que falei de hinduísmo, minha trilha sonora aqui é a deliciosa Chunari, Chunari. Com essa canção, a ótima Mira Nair homenageou Bollywood no divertido Monsoon Wedding.

music player
I made this music player at MyFlashFetish.com.

3 comentários:

shoichi disse...

Oi Lúcia, tudo bem? Are you going to The Week every week??? Fiquei triste por não ter te encontrado lá aquele dia depois da casa do Tony. Mas, fui embora cedo, anyway... Beijos e um ótimo carnaval! ;-)

shoichi disse...

Ah, tô adorando a série de posts gurda-chuvalescos! rsrsr Mas, vem cá, não tinha um post sobre a história do guarda-chuva? Eu tinha achado ótimo, mas não estou mais encontrando...

ludo diniz disse...

Adorei essa história.
Eu nesse dia, além de pegar a fila (pelo menos foi só a parte coberta), paguei 45 margaridas para entrar. Looooser.