terça-feira, 1 de abril de 2008

BON VOYAGE!

Soube há pouco que a Samanta, prima das minhas primas Soraya, Valéria e Juliana, e sobrinha dos meus tios Leonardo e Ivani, morreu.

No domingo estivemos, eu e os meus irmãos, no Sírio Libanês, onde a Samanta encontrava-se em coma induzida. Apesar da gravidade do quadro, eu acreditei que os 31 anos, a vitalidade e a inteligência da Samanta, o amor e a fé dos seus pais, parentes e amigos, a proficiência dos médicos do Sírio Libanês – que tudo isso operaria a sua cura.

A Samanta era espiritualista. Seus pais são espiritualistas. Muitos dos seus amigos são espiritualistas. Para os espiritualistas, a morte é um instante em um caminho infinito: Em algum momento ou lugar, todos os que se amam ou amaram se reencontram.

Até que se reencontrem, desejo aos que ficam a força e o desapego para lidar com a dor dessa separação. E à Samanta, uma boa viagem!

5 comentários:

Alexandre Lucas disse...

Richard Bach já dizia em Ilusões que os reencontros, depois de momentos ou de vidas, é natural para os que realmente são amigos =)

Too-Tsie disse...

Esse lance de desapego é muito difícil. A mãe de um amigo ficou viúva alguns anos atrás, esse meu amigo parece que pouco sofreu também. Hoje eles estão super bem, nenhum resquício de xororô. Ela inclusive virou uma "baladeira" de primeira. Vai nos seus bailes toda semana, e pelo que me consta, conheceu até um namorado.
Acho um exemplo.
Life goes on.

ludo diniz disse...

se é repentino, é necessária mta força para os que ficam

Gui disse...

Pouca coisa pode confortar alguem nesses momentos. Força pra continuar é essencial.

Alberto Pereira Jr. disse...

meus sentimentos Lúcia